• Tarsia Quiliao

SORORIDADE - SÍNDICAS SE UNEM PARA TROCA DE EXPERIÊNCIAS


Elas se juntam para compartilhar conhecimento e apoio

A essência da palavra sororidade é a união entre as mulheres. Praticar a sororidade é parar de sustentar ideias que incitam a rivalidade do gênero feminino. Essa rivalidade está tão enraizada que na maioria das vezes passa despercebida e é considerada até natural.



Um grupo com 200 mulheres sindicas praticam sororidade diariamente há um ano, o grupo foi criado durante a pandemia com a intenção de trocar experiências e melhor administrar o patrimônio das famílias e dos empreendimentos onde foram eleitas. Enfrentaram a pandemia unida e cresceram muito neste período.


Edilma Oliveira fundadora do grupo nos conta como teve a ideia “Iniciei o projeto em 2019 com workshop, palestras, cafés com síndicos, várias sindicas vinham me procurar para pedir ajuda em busca de conhecimento e eu pensava na possibilidade de juntá-las em um grupo, tinha várias dúvidas de nomes. Chegou 2020 com a pandemia e achei que não podia mais ser adiado, precisávamos nos juntar e trocar experiências e duvidas, de início era apenas meninas de Sergipe aí foram chegando mulheres de outros estados e rapidamente tínhamos representante de todos os Estados do Brasil” Hoje o grupo é reconhecidas em todo o País e Edilma completa “Sei da minha responsabilidade e me sinto bastante realizada”


O Congresso


Não pense que param no grupo de WhatsApp, elas estão organizando um congresso agora no dia 22 de maio onde vão através de painéis de debates coordenados pela professora Fábia Santos abordar a humanização nas microcidades que são os condomínios.


O Congresso vai ser transmitido ao vivo através das plataformas do YouTube do Sindicas de Sergipe Brasil e do Papo Condominial. O evento é gratuito para os participantes, está previsto receber 150 pessoas. Serão 04 painéis onde abordaram a humanização no meio condominial após a pandemia, várias sindicas de outros Estados já confirmaram a presença.


As Lives


Durante a pandemia fizeram diversas lives para troca de conhecimento e se conhecerem além disso mensalmente elas compartilham um informe com entrevistas e matérias para conhecer um pouco de cada uma e como atuam em seus Estados, sim o grupo tem sindicas de todo o Brasil.


Junte-se a nós


O grito de guerra do grupo é “vista-se de si e brilhe, junte-se a nós e voe! Aurea Cristina nos conta que: “é uma responsabilidade imensa tomar decisões sozinha. Com o grupo elas compartilham as dúvidas e ouvem outras opiniões de quem já vivenciou os problemas e se sentem muito mais seguras no dia a dia de administrar o coletivo”. O grupo tem profissionais experientes nas carreiras que atuam e principalmente na sindicatura mas, “temos também as que estão numa primeira gestão e adoramos nos ajudar” diz Edilma Oliveira.

Aurea Cristina completa “Somos mulheres com um potencial imenso para fazer negócios, mas o que gostamos mesmo é de aprender e compartilhar as experiências do dia a dia da sindicatura”.

União


O Sindicas de Sergipe permitiu apoio mutuo num momento que estávamos todas isoladas. A troca de informação, a possibilidade de compartilhar problemas e a busca por uma solução pautadas em experiências vivenciais em todo Brasil promoveu o crescimento e empoderamento feminino, divulgou o trabalho de vários profissionais na rede. “Eu sou muito grata por pertencer a um projeto onde o foco é a promoção de gestoras de alta performance” diz Fábia Santos.

Elas convidam para fazer parte do grupo e garante que nunca mais foram sozinhas nesta profissão tão exigente que é ser sindica.

17 visualizações0 comentário