• Tarsia Quilião

REALIDADE DOS CONDOMÍNIOS (NO GERAL DAS DIFICULDADES E IMPORTÂNCIA NA GESTÃO CONDOMINIAL)

O condomínio é uma extensão do nosso lar, uma pequena célula da sociedade, onde temos direitos e deveres, quer sejamos atuantes ou não. Se constata a pequena participação de condôminos nas assembleias, o que acaba por possibilitar a ocorrência de arbitrariedades. Este artigo tem como propósito demonstrar aos síndicos, aos moradores a importância de se adquirir conhecimento sobre os assuntos relativos ao condomínio e a necessidade de uma participação mais ativa, evitando que as decisões administrativas sejam tomadas por um pequeno grupo que muitas vezes não espelha a realidade do condomínio.





Uma boa gestão de condomínios é fundamental para o equilíbrio do condomínio e para garantir uma boa convivência com os moradores. É importante que esta gestão seja realizada em conjunto pelo síndico, Conselho Fiscal e Moradores. É necessário que o condomínio possua uma Convenção Condominial atualizada e um Regimento Interno atendo as necessidades diárias e prevendo situações que podem ocorrer no decorrer da vida condominial. É crucial que na gestão condominial haja transparência, lisura e ética no transcorrer das contratações, da realização de melhorias enfim, na gestão dia a dia. O condomínio é uma instituição sem fins lucrativos, ou seja, difere de uma empresa, uma vez que sua receita advém do pagamento das taxas condominiais, daí a importância de uma gestão atenta a minimizar a inadimplência a fim de que o recolhimento das taxas mensais seja atingido a fim de não prejudicar o adimplemento das obrigações do condomínio junto aos fornecedores e funcionários.

É necessário que o síndico eleito tenha conhecimento da legislação que envolve a vida condominial dentre elas Lei 4.591/64, a qual foi alterada pelo Código Civil de 2002; a Convenção do Condomínio, o Regimento Interno, conhecimentos básicos acerca da Consolidação das Leis do Trabalho, a Lei do Inquilinato, as Leis que envolvem Segurança do Trabalho, e acima de tudo a boa aplicação de técnicas administrativas que incluem a organização, planejamento e controle.

Uma das coisas que mais separa a boa gestão da ruim é a comunicação. Se a comunicação acontece de forma natural e todos trabalham em prol do bem-estar, tenha certeza que os moradores irão se sentir satisfeitos com a forma com a qual o condomínio está sendo gerido. E isso inclui todo e qualquer funcionário contratado para cuidar do ambiente.

A importância de uma boa gestão do condomínio vai além do que tange a comunicação e o bem-estar, alcançando também a lucratividade da empresa que administra condomínios.

Isso porque um condomínio cuja administração possui boas relações com os moradores é capaz de obter o pagamento em dia dos moradores com maior frequência, reduzindo os riscos de inadimplência e podendo negociar mais formas de pagamento, caso seja possível e necessário.

Sobre essa parte, é importante conscientizar os condôminos da importância de pagar as contas em dia e ser completamente transparente em relação aos valores, detalhando quanto vai para onde – ou, em outras palavras, como esse dinheiro é aplicado.

A boa gestão do condomínio não se limita apenas aos moradores, mas também envolve a administração de recursos como energia elétrica e água, por exemplo.

Quando o gestor é realmente eficiente, ele estudará formas para reduzir o consumo de energia e de água de uma maneira realmente eficaz. E isso também diz respeito à forma como os recursos financeiros são geridos.

É importante possuir um bom planejamento tributário e financeiro, sabendo exatamente quais impostos devem ser pagos e garantindo o equilíbrio das finanças. Nessa parte, uma boa administradora é uma das peças-chave. Em outro artigo iremos tratar da importância na escolha de uma administradora de condomínios.

Entender a importância de delegar as tarefas contábeis faz parte de uma boa gestão de condomínios. Diante dos fatos acima expostos há que se ressaltar que o síndico é uma figura chave nos resultados do condomínio, tanto positivos quanto negativos. É necessário que para se candidatar a uma vaga de síndico seja levada em conta a disposição, o conhecimento, a dedicação para com a gestão de um dinheiro e de um patrimônio que é de todos, ou seja, é necessário um prévio conhecimento sobre os diversos assuntos e principalmente muito disposição em entender o grupo. É necessário que o síndico tenha conhecimento das necessidades e da realidade do condomínio.

0 visualização
Contato
  • Facebook
  • Instagram

Info Síndico Dra Tarsia Smeha - by OTIMIZEI